O Instagram possui mais 1 bilhão de usuários ativos todo mês e é uma potencial ferramenta para conquistar novos fãs e convertê-los em venda.

Entenda porque você deveria investir e ganhar melhores resultados.

Instagram Stories para eSports e Gamers - Pablo Alves

O Instagram é atualmente a sexta maior rede social em atividade do planeta e ainda é possível ver marcas perdendo espaço no mercado por não utilizar esse recurso. O fato de ser uma plataforma voltada ao entretenimento e cotidiano dá oportunidade perfeita de empresas criarem relações amigáveis com seus possíveis clientes e multiplicar suas vendas.

Esse é um território pouco explorado por pequenos empreendedores, especialmente de esports, e um grande público gostaria de estar engajado no assunto.

Alguns empreendedores acham chato ter que parar, puxar o celular e dedicar tempo à criação. Esse pequeno obstáculo da preguiça atrapalha a marca e a coloca em xeque para seus concorrentes.

Sim, é chato. Eu sei! No entanto um mercado onde seus concorrentes, ou estão com preguiça de entrar, ou já estão utilizando, você não pode desperdiçar a oportunidade de se diferenciar.

Vamos falar de dinheiro!

Não gosto de pensar nos desafios que uma plataforma traz, prefiro ver boas métricas e para comprovar que funciona, vou mostrar o case de um evento que cuidei da campanha no Instagram.

Utilizando um link rastreado, eu fiz a campanha de um evento. Durante 1 mês, obtivemos 4.129 cliques e, ao final, vendemos cerca de 600 ingressos por ele. Isto é, cerca de 15% das pessoas que acessaram, compraram.

Do total, conseguimos 405 cliques vieram diretamente do Instagram e compraram.

E aplicando estes 15% do montante, percebemos que quase 60 ingressos foram vendidos por ele, sem gastar um centavo.

Então se um ingresso estava custando R$70, o faturamento com ele foi de R$4.200, sem pagar um centavo em publicação patrocinada. Um faturamento muito alto e que foi contabilizado apenas pelo ingresso online que foi equivalente a cerca de 50% das vendas, imagine de onde veio a outra metade presencial…

Seu único trabalho é criar conteúdo e uma relação próxima com os fãs, em troca ele te proporcionará uma alta lucratividade.

Sabendo que há um mundo esperando para te descobrir e consumir tudo que aparece pela frente. Por que não estás investindo ainda? Se você acha que não vale a pena, só pode ser louco!

Quero começar a usar o Instagram!

De início, precisamos ter um perfil, o que é óbvio. Só que precisa ser uma conta comercial para abrir funções que uma conta comum não tem para liberar acesso às estatísticas de alcance, engajamento, ações executadas, etc.

Entre no seu perfil para identificar qual você está utilizando. Para conferir, veja se há alguma forma de contato visível próximo ao seu nome: seu número ou e-mail ou você simplesmente abre a aba lateral e procura por “informações”, se não houver é uma conta pessoal, mas se houver, comercial.

Para atualizar seu perfil, aprenda como configurar um perfil comercial no Instagram e siga para os próximos passos;

Agora que estamos adequados, podemos seguir para a parte divertida.

Defina seu público-alvo!

Qualquer pessoa que tenha algum conhecimento pode compartilhá-lo e criar uma audiência, mas, antes de iniciar a produção, é necessário fazer uma pesquisa de público. Saber idade, região, escolaridade, ocupação e seus semelhantes ajudam a entender melhor quem pode comprar seu produto.

O Google, Facebook ou o próprio Instagram apresentam estatísticas de seguidores e visitantes de website através de abas de insights. Essas informações vão facilitar detalhes, como afinidade com redes sociais, cotidiano e poder aquisitivo.

Quanto mais dados demográficos, maior seu mapa de possibilidades e consequentemente as interações virão. Este primeiro passo ajuda você a descobrir que tipo de padrão seu público curte, possibilitando fazer conteúdos personalizados e direcionados.

Como descobrir hábitos de consumo

Utilizando ferramentas de pesquisa quantitativa é certo descobrir a quantidade de pessoas que existem na base de seguidores que possuem um hábito comum e, caso sua audiência ainda seja pequena, também é possível fazer uma pesquisa qualitativa.

Vou mostrar dois exemplos fictícios afim de explicar melhor a diferença entre as duas.

Primeiro caso: uma fabricante de acessórios para celular fez um meme sobre baterias que descarregam rápido e na biografia do perfil havia um link para carregadores USB.

A partir da página do Analytics da Google foi possível perceber um pico de usuários de iphone 24h após a publicação.

Logo além de fazer carregadores, a empresa também pode postar pensando em outros dispositivos apple, como fones de ouvido para ouvir músicas no itunes ou lentes  fotográficas para iphone.

Segundo caso: uma loja de camisetas gamer sabe que a maioria dos seguidores são da cidade de São Paulo, mas não faz ideia de qual o jogo favorito do seu público. Então ela começa a fazer conteúdo informativo sobre o mercado de jogos.

A cada comentário, a empresa chama o usuário no direct e faz perguntas sobre personagens favoritos e outros jogos que este também gosta. Assim é possível capturar a atenção de pessoas que tenham interesses semelhantes a ele.

Estudar o que sua audiência curte é uma ação pouco praticada pelos empreendedores, mas praticá-la vai ajudar tanto nas redes sociais, como no desenvolvimento do produto.

Hora de criar conteúdo!

Parece absurdo isso, mas nichar e até subnichar sua base na hora de escolher o destinatário, melhora as taxas de conversão. De que adianta alcançar 1 milhão que não vão comprar?

É muito melhor chegar a 100 e ter a certeza de que ali vai sair um bom número de conversões. Por isso, utilize o comportamento dos seguidores, direcione publicações e estude reações.

Identificar problemas e falar sobre eles é um ótimo meio de gerar engajamento. Assim, seu posicionamento como um amigo de quem sente aquela dor te torna memorável, mas tome cuidado e não vá gerar uma crise!

Um exemplo rápido: Um gamer no Counter-Strike:Global Offensive que não sabe usar smokes por falta de conhecimento e para abordar esse tema uma página lança um meme promovendo um vídeo de pixels legais para conquistar território!

Viu que fácil? Dificuldade descoberta = assunto a ser explorado.

Agora basta coletar uma quantidade interessante de adversidades que possam dar um bom post. A partir disto é só saber como você irá fazer a abordagem que pode ser um meme, uma lição, uma frase de apoio, mas lembre-se que o modo que a mensagem for passada pode gerar diferentes reações.

Quem está atrás da tela é imprevisível, mas dá para imaginar que ninguém gosta de ser ofendido, né?

Conclusão

Sabendo como iniciar, não há motivo para esperar o amanhã.

Utilize seu tempo livre para pesquisar o que está em alta e fazer suas fotos. Em 30 minutos é possível programar uma semana inteira.

  • Gamers, explorem suas gameplays;
  • Comerciantes, fotografem seus produtos em situações legais;
  • Donos de organização, promovam as atividades das equipes.

A lista de ideias é extensa e forçando um pouco de criatividade podem ser colhidos bons frutos!

 


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Fale comigo!